FELIZ ANO NOVO

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog

Olá, pessoal !

Gostaria de trazer algumas comunicações sobre os próximos meses, julho-agosto. Começarei falando sobre segunda quinzena de junho, gostaria de falar sobre esse tempo em que estamos vivendo. Parece um tempo de silêncio, mas é justamente o contrário. Entendo que esse mês foi muito barulhento: muitos ciclos se fechando para abertura de novos ciclos nos próximos períodos focados em vigilância e oração. Percebo uma necessidade de estarmos em vigilância até nas coisas mais seguras que temos em nossa vida, que consideramos áreas firmes e confortáveis.

Ciclos se fechando

Podemos olhar pra trás e ver metas sendo alcançadas, melhorias no nosso funcionamento, um aumento de visibilidade e também de autoridade pra funcionarmos. Isso é bom, mas vai exigir mais de nós também, porque coisas novas estão sendo colocadas à nossa frente.

Imagem

Nesses dias estou com uma imagem em minha mente, é como se estivéssemos sendo bombardeados… Justamente num território de avanço. Esse bombardeio tem como objetivo nos fazer recuar e colocar em dúvida todo o processo percorrido até aqui como direcionamentos, estratégias e etc… Não sei se essa imagem veio porque estou lendo o livro novo do Rick Joyner, “A Espada e a Tocha”… Quem sabe fui ativado! Hehe!! Mas tenho certeza que não tem nada no livro parecido com essa imagem… Lembro-me da frase que Deus falou pra Moisés quando ele estava saindo do Egito com o povo. Atrás estava Faraó e seu exército e à frente o Mar Vermelho, e o direcionamento de Deus foi: “Diga ao povo que marche”. Isso está no capítulo 14 de Êxodo. Por causa daquele cerco, todo o propósito estava sendo colocado em cheque – vale à pena dar uma lida. Apesar daquela resposta ter sido para o povo, ela também foi ao encontro de Moises por ser o condutor, o que presidia aquelas pessoas. Deus o respondeu: “Por que clamas a mim??? Diga ao povo que marche”. Essas palavras estão queimando dentro de mim agora.

Portões

Neste período julho-agosto estarão se abrindo portões, liberações estarão acontecendo: é a entrada para 2010. Hoje tocaremos o próximo ano… Hoje!!! O interessante é que estaremos (como equipe rugido do leão) em diferentes cidades, estados e nações simultaneamente, lugares que estarão interligados para aberturas nesses períodos. Deixe-me comentar sobre os lugares:

Eu estarei entrando em estados e cidades que nunca havia estado antes, lugares que nos fora comunicado pelo Espírito no final do ano passado e no inicio desse ano. São eles: Bahia, Espírito Santo e a cidade de Ipatinga, todos no mês de julho. No mês de agosto, iniciaremos uma escola no Rio Grande do Sul (aonde está havendo uma força da nova gripe). Destes lugares destaco Bahia, porque acho que é um templo de invocação para toda a nação, um lugar muito oportuno para o período de abertura de portões. Denise irá para a Holanda no final do mês (vejo esse país como um poço, ainda não sei explicar bem; assim que entender melhor, eu explico). Interessante eu estar no início do mês na Bahia e ela no final na Holanda, por ter sido na Bahia a entrada de alguns holandeses no Brasil na época da colonização. Rebeca estará nos EUA, numa conferência com crianças que tem como objetivo trabalhar o entendimento das crianças para que elas saibam como se posturar no mudo que vivem hoje e, assim, acelerar um avanço geracional em que vai se haver períodos de transmissão de princípios e valores. Creio que nesses dias os EUA vão ter uns períodos de intercessão pelas nações, e justamente nesta hora esses portões vão se manifestar, pessoas e crianças terão visões sobre esses portões, sobre portas e escadas. A ida da Denise à Holanda tem a ver com mais uma nação com a qual vai se conectar ao pisar. Lembro-me agora de Abraão que, antes de ser posicionado na terra que iria possuir, caminhou por ela como se estivesse demarcando todo o território para que gerações se estabelecessem nelas … Vamos lá, Dê !!! Abrindo caminhos !!!!

“Buscai – me e vivei”… – Amós 5

Você pode lê-lo todo, mas para esse período foquem nos versículos 1 a 8. Nesta passagem, o profeta traz uma lamentação sobre à casa de Israel e os convoca a uma nova postura na sua busca a Deus. No vers. 5, ele cita lugares especiais, onde houveram acontecimentos marcantes para a nação e que agora estavam sendo usados para uma postura idolátra.