Profecia de encorajamento

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog
IMG_1994
Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha. Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia:Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles. Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres. Restaura, SENHOR, a nossa sorte, como as torrentes no Neguebe. Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes. (Salmos 126)
Este salmo tem preenchido meu interior no dia de hoje… Por favor, não deixe de agradecer ao nosso Adonai Yahweh… Deixe sua boca encher de riso e a sua língua de júbilo e louvor… Grandes coisas Ele tem feito por nós, grandes coisas. Ele é grande!!! Vamos, ergam um grito de louvor a Ele! Você se surpreenderá com o que sairá de você… É a hora de encarar o desânimo, o medo, o atraso e a letargia… Eu posso ver pés em movimento, provocando um som como de uma contagem… Os passos são uma contagem regressiva: essa é a hora de uma contagem regressiva, de como se aguarda o que está por vir, por se manifestar, e digo até em coisas que não se esperavam mais que irão surgir ao seu redor… Hoje, não se trata mais de você e sim do que precisa ser feito.. A forma como você vai receber o que chega vai revelar o que faltou ser preparado e que tipo de estrutura foi dita ser necessária para os dias de hoje…
Esses dias se abrem de uma forma como você não se preparou pra ver, eles vão simplesmente brotar… Assim como se acorda de manhã e se vê uma flor que aparentemente não estava ali antes mas ela brotou e passou a modificar como se visualiza o cenário… Eu posso dizer a você: saia e veja… Erga seus olhos … Deixe a visão ser algo que entra em você em vez de ser o que sai de você, em sua opinião de sua ótica, e isso irá mudar a forma de se relacionar com tudo ao seu redor… Sinta a fragrância e se alegre!

Uma tribo dentre todas

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog

10588915_733168073395565_409862044_nNo tempo em que Davi estava formando a organização do seu reinado, as tribos de Israel se apresentam para cooperar com o estabelecimento do reino.

Então, entrou o Espírito em Amasai, cabeça de trinta, e disse: Nós somos teus, ó Davi, e contigo estamos, ó filho de Jessé! Paz, paz seja contigo! E paz com os que te ajudam! Porque o teu Deus te ajuda…

Porque, naquele tempo, dia após dia, vinham a Davi para o ajudar, até que se fez um grande exército, como exército de Deus… Ora, este é o número dos homens armados para a peleja, que vieram a Davi, em Hebrom, para lhe transferirem o reino de Saul, segundo a palavra do SENHOR… (1 Crônicas 12.18,22-23)

Que momento interessante: uma mobilização ocorre, tribos se unem na transição de um modo de reinar para outro, há uma nova palavra, uma nova direção, uma transição de Saul (modo vigente) para Davi (novo modo). O interessante é que não existe uma anulação das características das tribos, somente do modelo de reinado. Um exército como o de Deus – na terra como no céus, essa sempre foi a busca de Davi, que sempre se considerou um príncipe e sabia que era o verdadeiro rei.

Uma tribo tem uma especificação de uma característica bem interessante, entre outras. As tribos tinham especificação de homens guerreiros, experientes de guerra, hábeis para o uso de todo tipo de armas, e homens com todo tipo de armas para batalhas e preparados para o serviço militar. Mas uma tribo é citada como homens que entendiam as épocas, estações, os tempos, e que sabiam o que Israel deveria fazer (1 Crônicas 12.32). É muito importante este serviço, porque do que adianta ter todo o preparo e poderio se não se sabe o que deve ser feito? O que fica claro é que o fazer está relacionado diretamente com o tempo. Por eles entenderem os tempos, sabiam como proceder, ou seja, o modo. Esses dois fatores são fundamentais para a operação e articulação do funcionamento de uma missão, Vejo nessa tribo a sinergia entre profético e apostólico. Estou procurando mais evidências escriturais para compreensão de como atua essa tribo no meio de Israel. Interessante é a palavra do seu patriarca destinado ao seu filho Issacar, de onde se originou essa tribo. Diz assim: Issacar é um jumento forte, deitado entre os abrigos das ovelhas (Gn 49.15) A força que tinha essa tribo se caracteriza pela capacidade de carregar (movimento e articulação) e auxiliar. O jumento foi a figura levada no estandarte dessa tribo, uma identificação da sua característica. Veja que interessante: hoje associamos esse animal à falta de capacidade de saber o que fazer. Vamos ver de onde surgiu isso.

“O nome “burro” veio do latim burrus, que quer dizer vermelho. Acredita-se que foi daí que surgiu a crença de que burros são pouco inteligentes, pois, antigamente, os dicionários tinham capas vermelhas, dando a ideia de que os burros eram sedentos de saber. Outra história diz que numa moeda antiga tinha a imagem de um rei com uma cabeça enorme que não era esperto, que se associou com a cabeça resistente do burro. Porém, também pode ter surgido da lenda grega do rei Midas, que foi tolo ao ponto de contradizer a irrevogável palavra do deus Apolo, que foi castigado pelo deus, recebendo orelhas de burro.

Em Portugal, tal como no Brasil, chamar burro a alguém é uma ofensa. Um indivíduo burro é um indivíduo pouco inteligente, estúpido, teimoso, ignorante, com pouco entendimento, sem conhecimento geral nem criatividade.” (Fonte Wikipédia)

Então, vamos mudar nosso conceito e sermos auxiliadores na movimentação do povo de Adonai? Vamos calar vozes proféticas equivocadas como a mula de Balaão?

Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.(MT 11.28-30)

Vamos nos unir para vermos o reino que estará sendo estabelecido.

O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos. E os vinte e quatro anciãos que se encontram sentados no seu trono, diante de Deus, prostraram- se sobre o seu rosto e adoraram a Deus, dizendo: Graças te damos, Senhor Deus, Todo- Poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e passaste a reinar.(AP 11.15-17)

MANIFESTO

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog

1505271_637942442911400_2012637943_n/// O MOVIMENTO //

O manifesto é um movimento dentro de uma ordem de mobilizar os que creem em Cristo, despertando a consciência do serviço sacerdotal como comunidades (Igreja). Entendendo como dever exercer esse serviço em Yeshua (Jesus), juntamente com Ele, diante do Pai na realidade espiritual com a qual nos compete interferir aqui na terra.

/// A ESTRATÉGIA //// A estratégia é reformularmos nosso conceito da palavra culto (conforme acostumamos a pensar), pois ela ainda se restringe ao encontro de uma comunidade local (igreja local) como se nisso estivesse contido todo o seu fluxo de movimentação.

A ideia é ampliar e não desvalorizar o conceito já estabelecido dessa palavra. Ampliar e trazer princípios básicos em que implica esse serviço chamado culto, que está exclusivamente firmado no contexto do serviço sacerdotal. A palavra culto está totalmente vinculada ao serviço intercessório. Na pratica, trata-se de promover uma interação e um dinamismo maior àqueles que participam para que intercedam, provocando a todos para que tenham uma postura ativa. Por isso usamos a palavra mobilização. Encorajamos as pessoas a estarem atentas a corresponderem às percepções do que está ocorrendo no próprio ambiente, comunicando por meio de proclamações intercessórias. Essas percepções podem chegar por meio de impressões, visões e trechos das escrituras.

O ideal é que esses encontros aconteçam mensalmente e que a Igreja da região seja participante. É essencial que seja acompanhado por um desenvolvimento de dons espirituais para aumentar nossa frequência e conexão com o que nos é comunicado pelo Espírito. É importante que esse encontro seja apontado por uma diretiva sobre o que está necessitando ser movido na região e no meio do grupo que mobiliza.

/// A MUSICA /// É muito importante a utilização da música. Portanto, é necessário que os músicos sejam desenvolvidos em seus dons e sensibilidade (feeling), cooperando em condicionar o ambiente, facilitando e interagindo com as proclamações, orações, súplicas, intercessões e profecia por meio de canções precisas e adequadas.

O coração é o que condiciona o ouvir Espiritual. Na verdade, existe algo ainda a ser desenvolvido em relação ao campo musical no que diz respeito ao “som” que estamos buscando; trata-se de se comunicar espiritualmente. O ouvir não vai ocorrer enquanto também não soubermos comunicá-lo. Ambos, o ouvir e o comunicar são condicionados pelo nosso coração… (1 Coríntios 14:7, 8, 10-12 ARC)

Paulo fala sobre desejo, o desejar dons. Desejar está relacionado ao nosso coração, por isso deve estar relacionado com padrões corretos. Dons estão ligados às capacidades do nosso espírito humano, e o Espírito trabalha sobre ele para nos potencializar e nos desenvolver espiritualmente, com esse desejo provocando a sinergia. Isso estabelece a verdade que Yeshua fala em João 4.23-24.

Por fim, o desejo pelos dons (ouvir e comunicar) tem que estar alinhado com o que também anseia o Espírito: o fato de ser dado para uma utilidade (1Coríntios 12:7 ARC). Os que trabalham com música e arte precisam saber e compreender que necessitam dos dons espirituais para perceber e comunicar o som. Isto pela necessidade de se moverem no Espírito, utilizando seu espírito para operacionalizar e a alma para comunicar por meio de sua criatividade e feeling. A alma nunca fica de fora; ela deve ser posicionada, assim como a mente. (1Co 14:15)

// O PROFÉTICO /// O Manifesto é um tipo de mobilização que é uma ferramenta para o ministério profético se mover, uma sinalização, para que as pessoas tenham um sinal em algum lugar.

O termo profético tem muito a ver com a intercessão. Por muito tempo, se falou de profético como se ele fosse um adereço à intercessão. Mas na verdade toda movimentação intercessória é profética. Isso coincide com o momento em que a Igreja se envolveu com um padrão pastoral e se afastou da sua função sacerdotal sobre a terra. Nós podemos acessar a como Deus se movimenta, somos todos sacerdotes, uns com mais responsabilidades sobre outros, com funções especificas, pontuais.

O grande desafio da percepção profética não é só discernir o que está – ou deveria estar – acontecendo, mas se mover para provocar o que deve ser feito. O serviço profético veio com um ranço de ameaça, quando na verdade se trata de um encorajamento: “nós vamos fazer e vocês vão entrar nisso através de nós”.

Acreditamos muito que a oração provoca uma condição espiritual, ela é uma ação! E é ela que gera o movimento das coisas.

http://www.youtube.com/watch?v=y4K-uyvPdRA

Jornada profética

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog

Estive fazendo uma breve reflexão sobre os capítulos 42 e 43 do livro do profeta Jeremias, enviados pela minha esposa Luciana Souza. Ali está a história após as primeiras invasões feitas pela Babilônia ao território de Israel.

Alguns remanescentes de Judá que foram dispersos por esses ataques e invasões retornam e pedem que o profeta Jeremias consulte ao Deus pelo com ele os advertiu sobre estes ataques que ocorreram anteriormente, que consulte a Adonai sobre uma direção para eles e prometem dizendo que o que fosse declarado por Jeremias reconheceriam como uma palavra de Adonai. Após 10 dias, vem a palavra de Adonai para Jeremias. Diz o texto: Tendo Jeremias acabado de falar a todo o povo todas as palavras do Senhor seu Deus, aquelas palavras com as quais o Senhor seu Deus lho havia enviado, então falaram Azarias, filho de Hosaías, e Joanã, filho de Careá, e todos os homens soberbos, dizendo a Jeremias: Tu dizes mentiras; o Senhor nosso Deus não te enviou a dizer: Não entreis no Egito para ali peregrinardes; mas Baruque, filho de Nerias, é que te incita contra nós, para nos entregar na mão dos caldeus, para eles nos matarem, ou para nos levarem cativos para Babilônia. Não obedeceu pois Joanã, filho de Careá, nem nenhum de todos os príncipes dos exércitos, nem o povo todo, à voz do Senhor, para ficarem na terra de Judá. Mas Joanã, filho de Careá, e todos os chefes das forças tomaram a todo o resto de Judá, que havia voltado dentre todas as nações, para onde haviam sido arrojados, com o fim de peregrinarem na terra de Judá; aos homens, às mulheres, às crianças, e às filhas do rei, e a toda pessoa que Nebuzaradão, capitão da guarda, deixara com Gedalias, filho de Aicão, filho de Safã, como também a Jeremias, o profeta, e a Baruque, filho de Nerias; e entraram na terra do Egito; pois não obedeceram à voz do Senhor; assim vieram até Tapanes. Então veio a palavra do Senhor a Jeremias, em Tapanes, dizendo: Toma na tua mão pedras grandes, e esconde-as com barro no pavimento que está à entrada da casa de Faraó em Tapanes, à vista dos homens de Judá; e dize-lhes: Assim diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Eis que eu enviarei, e tomarei a Nabucodonozor, rei de Babilônia, meu servo, e porei o seu trono sobre estas pedras que escondi; e ele estenderá o seu pavilhão real sobre elas. (Jr 43:1-10)

Estes remanescentes poderiam ter vivido um tempo de restauração antes do tempo determinado por Deus que viria sobre Israel, e eles poderiam ter experimentando antecipadamente o que ocorreria 73 anos depois. Mas são confundidos por um “disse me disse” e como diz o texto, por causa da sua soberba, preferem acreditar em falatórios e supostos complôs contra eles. Enfim, perdem de avançar como remanescentes no pioneirismo.

Se de boa mente habitardes nesta terra, então vos edificarei, e não vos derrubarei; e vos plantarei, e não vos arrancarei; porque estou arrependido do mal que vos tenho feito.(Jr 42:10)

A questão aqui nem é o profeta Jeremias, mas eles, que o escolheram pra ser uma voz pra eles e logo depois decidem que ele não seja mais essa voz. O ponto dessa reflexão para mim foi: o maior favor sobre a vida do profeta não é ser ouvido pelos homens, mesmo os que procuram sua voz, mas continuar ouvindo Deus. Assim que, logo quando entram no Egito, vem de novo a palavra de Adonai, a mesma que não foi ouvida pelos homens, e a que continuava sendo ouvida por Jeremias. Deus escolhe seus representantes… “Todavia eu vos enviei persistentemente todos os meus servos, os profetas, para vos dizer: Ora, não façais esta coisa abominável que odeio!” (Jr 44:4).

Os homens também escolhem suas vozes, a diferença é que quando se é escolhido por homens, pode-se uma vez ser ouvido por eles e outras vezes não. Quando se é escolhido por Deus, você jamais deixa de ouvi-Lo e também de ser ouvido por Ele.

Então eles disseram a Jeremias: Seja o Senhor entre nós testemunha verdadeira e fiel, se assim não fizermos conforme toda a palavra com que te enviar a nós o Senhor teu Deus. Seja ela boa, ou seja má, à voz do Senhor nosso Deus, a quem te enviamos, obedeceremos, para que nos suceda bem, obedecendo à voz do Senhor nosso Deus. (Jr 42:5-6)

Logo, o esforço numa jornada profética não pode se centrar em ser ouvido, e sim em continuar ouvindo. Por isso o nosso Yeshua diz: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz…” (Ap 2:11)

… Adora a Deus; pois o testemunho de Yeshua é o espírito da profecia. (Ap 19:10)

O Grito !

Postado por Fabio souza     Categoria: Blog

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos.” (1 Timóteo 2:1-6)

Gostaria de fornecer uma direção para aqueles que foram chamados “…a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” (1 Pedro 2:9). Pedro diferencia trevas de luz, e esse conceito se refere a entendimento e obscuridade em relação à conduta da vida. Então, para aqueles que fazem das escrituras parâmetros para sua conduta, vale uma reflexão nas palavras de Paulo ao jovem Timóteo, que estava indo para uma obra revolucionaria na cidade de Éfeso, sobre como ordenar o movimento da igreja internamente e na cidade. Esse capítulo é exclusivamente sobre o funcionamento fora, de como se mover em benefício de todos os homens (qualquer tipo): presidentes, deputados, prefeitos e governantes no geral, investidos de autoridade diz Paulo, ou seja, o estado. E antes de tudo – antes de tudo, antes de tudo – ele disse, “eu chamo vocês, exorto para a prática de súplicas, orações, intercessões, em ações de graças” (hehe).

Eu até admiro ver jovens do nosso país com atitude para uma mudança, e quero aproveitar para erguer essa exortação de Paulo que é o meio de influência para uma vida adequada em uma cidade. Paulo diz que isso é bom e aceitável a Deus, logo, há uma indicação de que Ele atende. Eu vejo jovens indo às manifestações, publicando, etc, e isso é interessante porque mostra um desejo, uma força de mudanças. Mas fico pensando: será que, como jovens, sabemos ou somos aplicados em saber como fazer? E o que significa suplicar, fazer orações, intercessões em ação de graças? Que tal a gente empenhar nossa força e alinhar nosso desejo com o desejo revelado a nós da parte de Deus? Seria muito bom que antes de irem para rua, eles consultassem uma casa de oração. As pessoas podem crer nisso, sim. Às vezes as vemos em busca de uma necessidade através de uma imagem de escultura… Por que não vir a consultar aqueles que estão sendo feitos à imagem de Deus, o Deus que reponde com a luz por meio daqueles que estão sendo iluminados por ela? Paulo diz que essa ação e postura nos unem e nos associam ao desejo de Deus ao seu plano: Vamos mobilizar!!! Oração é ação!!!

“Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, apresentou-se-lhe um centurião, implorando: Senhor, o meu criado jaz em casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente.  Jesus lhe disse: Eu irei curá-lo.  Mas o centurião respondeu: Senhor, não sou digno de que entres em minha casa; mas apenas MANDA COM UMA PALAVRA, E O MEU RAPAZ SERÁ CURADO.  POIS TAMBÉM EU SOU HOMEM SUJEITO À AUTORIDADE, TENHO SOLDADOS ÀS MINHAS ORDENS E DIGO A ESTE: VAI, E ELE VAI; E A OUTRO: VEM, E ELE VEM; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz.  Ouvindo isto, ADMIROU-SE JESUS E DISSE AOS QUE O SEGUIAM: EM VERDADE VOS AFIRMO QUE NEM MESMO EM ISRAEL ACHEI FÉ COMO ESTA.  DIGO-VOS QUE MUITOS VIRÃO DO ORIENTE E DO OCIDENTE E TOMARÃO LUGARES À MESA COM ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ NO REINO DOS CÉUS.  AO PASSO QUE OS FILHOS DO REINO SERÃO LANÇADOS PARA FORA, NAS TREVAS; ali haverá choro e ranger de dentes.  Então, disse Jesus ao centurião: Vai-te, e seja feito conforme a tua fé. E, naquela mesma hora, o servo foi curado. ” (Mateus 8:5-13)